Por motivo de manutenção dos servidores da UEPB, os números anteriores da Revista estão temporariamente inacessíveis. Data limite de contribuições para o próximo número: 30 de julho de 2017.

Espaços de minerar e caminhos do abastecer: as paisagens, os lugares e o território do quadrilátero Ferrífero

Danielle PIUZANA [1]
José Newton Coelho MENESES [2]
Marcelino MORAIS [3]
Marcelo FAGUNDES[4]
 
RESUMO

Neste trabalho será apresentado o processo de ocupação da região central de Minas Gerais, tendo como fundamento a mineração de ouro, inicialmente, e de ferro, a partir do século XIX, com foco ao Pico de Itabira, hoje conhecido como Pico de Itabirito, próximo à cidade de Itabirito, antiga Itabira do Campo. O pico, um marco histórico, geológico e econômico regional, foi guia para os deslocamentos humanos nos séculos XVII, XVIII e XIX e é um testemunho da riqueza mineral e de sua histórica exploração na região. É parte de um conjunto paisagístico tombado como documento da ocupação de Minas Gerais pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA), em 1989, o que determina limites na exploração da sua paisagem. Itabira e Itabirito são nomes indígenas assumidos pelo vocabulário geocientífico a partir do geólogo e metalurgista alemão W. L. von Eschwege, no início do século XIX. Os caminhos que passavam pelas proximidades do pico foram importantes no abastecimento alimentar das populações de numerosos aglomerados urbanos que se formaram na ocupação da região, incluindo, entre eles, a Vila Rica, hoje Ouro Preto. Sobre esse  exemplo de urbe portuguesa no interior da América, Patrimônio Cultural da Humanidade (UNESCO),  focaremos a questão do abastecimento, de suas redes de comércio e de sociabilidade, bem como de sua importância na configuração da vila, da cidade, e da complexa e dinâmica construção cultural de formas, produtos e gostos alimentares identitários da cultura mineira.

PALAVRAS-CHAVE: bens minerais, abastecimento, Pico do Itabirito, Ouro Preto


ABSTRACT

This work  will focus on the conquest of the central region of Minas Gerais by people involved in mining activities (gold mining, since the end of the 17th Century, and iron mining, since the 19th century) focusing the  Itabira Peak - nowadays called Itabirito Peak - the most important landmark for travellers throughout the centuries. The roads around the peak were very important for both trade and supply of the several villages and cities founded in that mining area. Nowadays, this area is part of an ecological reserve, preserved as an historical and ecological patrimony: the Itacolomi State Park. Located at the city of Ouro Preto (formerly Vila Rica, capital of Minas Gerais until 1897), an example of a Colonial Luso-Brazilian city. We will discuss aspects of the history of the mining areas and their food supply.

KEY WORDS:  ore deposits, food supply, Itabirito Peak, Ouro Preto

Texto completo: PDF


[1]  Geóloga - Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
[2]  Historiador - Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
[3]  Geógrafo - Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
[4]  Arqueólogo, Professor Adjunto da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Coordenador do Laboratório de Arqueologia e Estudo da Paisagem.